XMBC – Solução Media Center completíssima, multiplataforma e free!

Sou programador, e nas pouquíssimas horas vagas que tenho gosto muito de ouvir música. Gosto de rock nacional dos anos 80-90, grunge e nu metal principalmente, mas meu gosto não vem ao caso. Nunca fui muito fã do Windows Media Center, até por ser um produto relativamente novo, e como minha experiência maior com o Windows foi no XP que não tinha o WMC integrado, acabei por me acostumar com players normais como o excelente Aimp. Mas atualmente, com tantos vídeos e conteúdo multimídia disponíveis pela web, apenas ouvir músicas não basta. Gostamos de ver vídeos, séries, ler notícias pelos feeds RSS que assinamos por aí e etc., e é aí que um Media Center por ser útil!

Além de proporcionar um bom aproveitamento de tela para a gestão de coleção multimídia, um Media Center pode ser integrado a aparelhos de televisão modernos, e com uma placa de captura de sinal de televisão, você consegue até gravar teus programas! Há diversas soluções pagas e free disponíveis, de excelente qualidade inclusive, mas uma em particular tem superado todas as expectativas: o XBMC! O aplicativo é simplesmente incrível, e a lista de addons não pára de crescer! Atualmente, é possível ler notícias RSS, ver vídeos no Youtube, compartilhar as informações da tua biblioteca digital em diversos sites, e uma a muito tempo procurava e finalmente vim a encontrar no XBMC: a possibilidade de ouvir músicas do Grooveshark! A biblioteca de músicas disponibilizadas pelo serviço é simplesmente gigantesca, e não pára de crescer também. E você tudo isso disponível em uma interface personalizável, moderna e agradável. No site do projeto é possível encontrar uma lista das skins disponíveis, de onde tirei a Rapier, a que uso atualmente. A solução vale muito apena ser testada. 
A aplicação está disponível para Windows, OSX, AppleTV, uma versão bootável e Linux, incluindo pacotes nos repositórios oficiais do Arch e Mandriva, possuindo um time para Ubuntu, e repositórios terceiros para Debia, Fedora, Foresight, Gentoo e openSUSE (+ info), além do código fonte para compilação, é claro.

PPA para Ubuntu  (testado na versão 11.10 Ocelot)

NOTA sobre Ubuntu Ocelot e Gnome shell…

Como dito, postaria um review sobre o Ubuntu Ocelot, com sua interface renovada. Mas não, faço mais que isso: postarei uma nota, não somente sobre a nova Unity, mas também sobre o Gnome shell:

To migrando para o KDE4!

(O Kubuntu Ocelot tá muito bom! Por que eu não usava essa distro sempre???)

Ubuntu Ocelot final lançado… o que mudou?

Ubuntu 11.10 lançado!

Após algumas intrigas por parte da comunidade de desenvolvimento do Ubuntu em relação a nova interface Unity, em que muitos concordavam não estar madura o suficiente para vir como padrão na versão criticadíssima Natty Narwhal (11.04), a versão final da distribuição em seu número 11.10, codinome Oneiric Ocelot, já está disponível para download. No link abaixo segue uma lista de modificações que conta com um vídeo:

Lista de recursos da nova versão do Ubuntu

Como já dito, a rejeição por parte de muitos ocorreu quando a Canonical decidiu manter a interface Unity como padrão, sendo que para esta é necessária uma placa com bons recursos gráficos, e além disso, as opções de personalização e controle do Unity eram muito inferiores ao da interface clássica. Depois de uma série de problemas reportados pelos usuários do Natty (como por exemplo congelamentos aleatórios de tela, “quebra” do ambiente gráfico e etc.), a comunidade se voltou quase que por completo para o desenvolvimento da nova versão que redimiria o Unity (creio que outros usuários do Natty concordem comigo, pois não via muitas atualizações significativas para o Natty nos mais diversos blogs de Ubuntu encontrados por aí).

Pois bem, seguidas uma série de betas por aí, as novas mudanças do Ubuntu foram implementadas. Porém, a Canonical se pronunciou um pouco antes da lançamento final do Ocelot, afirmando que a interface clássica não estaria mais disponível, sendo substituída pela versão mais simples do Unity, a 2D, excelente por sinal. Fora isso, parece que o retorno ao clássico não será mesmo possível, já que a versão do Gnome presente na distro é a 3, também muito criticada por conter uma série de mudanças, sendo que algumas não agradaram muito. É importante ressaltar que os recursos geralmente apresentados nas distros Fedora mais recentes são pertencentes ao Gnome Shell, diferentemente do Gnome3. Sendo assim, uma versão do ambiente clássico estará disponível, porém com suas mudanças devidas. A julgar pela aceitação das betas e agora da oficial, me parece muito proveitoso atualizar a distro, ainda mais com essa série de mudanças (finalmente o Thunderbird no lugar do Evolution!).

Já baixei ela, instalarei em breve, e tão logo postarei aqui meu review, mas uma coisa que me deixa pensativo é a seguinte: essa série de mudanças irreversíveis, não estaria indo de encontro com o princípio da liberdade de escolher dos usuários? O Ubuntu está caminhando para continuar a ser livre, ou não? ==> (OLHE ISSO… seria um princípio de Microsoftismo)?

Ubuntu Maverick disponível!

A Canonical já deixou disponível o download da versão final do Ubuntu Maverick Meerkat (10.10). Disso muitos já sabem, mas por que atualizar? Confira alguns recursos dessa nova versão da distribuição Linux mais famosa e usada em mais de 12.000.000 de computadores no mundo!

Além dos recursos já conhecidos da distribuição, do excelente apoio comunitário e da excelente lista de aplicativos pre-instalados que muitos já conhecem, a nova versão traz algumas mudanças significativas. Dentre todas, talvez a mais revolucionária é o novíssimo recurso multi-touch, para telas que possuem suporte para este recurso. Com 4 dedos você consegue utilizar o desktop de forma bem mais interativa e interessante.

Além disso, o controle de som foi reformulado, sendo possível ter os controles de avançar, retroceder, pausar a reprodução de mídia diretamente pelo mesmo. O Rythmbox também recebeu uma alteração, sendo possível agora compartilhar informações sobre a reprodução atual em mídias sociais.

O Ubuntu Software Center recebeu uma mudança que acabou gerando muito descontentamento por parte de muitos usuários, mas que por outro lado abriu as portas para softwares proprietários: agora é possível comprar softwares!

De qualquer forma, o programa recebeu outras mudanças, como por exemplo as sugestões de plugins, para otimizar o desempenho de softwares e aumentar sua produtividade. É possível também acessar um histórico das alterações realizadas pelo software center.

Nesta nova versão, o gerenciador de fotos F-Spot foi substituído pelo novíssimo Shotwell.

A integração do serviço se sincronização de arquivos clientenuvem UbuntuOne com o navegador de arquivos Nautilus é outro ponto forte. Agora é possível compartilhar qualquer pasta pessoal do computador através do menu do botão direito do mouse. Além disso, o serviço de gerenciamento de trabalhos de impressão e o gerenciador de atualizações receberam mudanças significativas na interface e funcionalidades. O novo instalador do Ubuntu está muito melhor e simplificado. A instalação está muito mais veloz, já que o mesmo executa a cópia dos arquivos ao mesmo tempo que obtém informações sobre o novo usuário.

Outras modificações podem ser vistas utilizando o novo Ubuntu. Não quer instalar? Use o liveCD! Baixe já! Você tem um netbook? Então não esqueça de conferir a novíssima versão para netbooks aqui, com a interface Unity modificada.

LibreOffice: repositórios para instalação

Recentemente anunciado, o lançamento do LibreOffice (saiba mais aqui), deixou milhares de desenvolvedores e até usuários curiosos. Aprenda a instalá-lo via repositório para distribuições baseadas no Debian!

O repositório ainda é beta, somente contendo a versão 32-bits. Mas de qualquer forma é um modo muito seguro de instalação. Ok. Primeiramente abra um terminal e digite cuidadosamente as linhas abaixo:

echo ‘deb http://download.tuxfamily.org/gericom/libreoffice /’ | sudo tee -a /etc/apt/sources.list
sudo apt-key adv –keyserver keyserver.ubuntu.com –recv-keys 890E7A26
sudo apt-get update

A para instalar, digite:

sudo apt-get install libreoffice3* lobasis3.3*

Poste depois o que achou do LibreOffice.

Dica retirada de omgubuntu.