Precisamos elaborar redes sociais que levem a mudanças reais

Wael Ghonim, preso durante os prostestos da primavera egípcia de 2011, trata nesta palestra TED sobre a importância que as redes sociais tiveram na liberação de seu país das mãos do então ditador Mubarak. Mas infelizmente, como sabemos, os atos que se sucederam não foram os idealizados pela multidão que foi às ruas durante aquela madrugada escura na qual Ghonim foi sequestrado pela polícia egípcia. A polarização de discursos de ódio, trolls, opiniãos inflexíveis e irrefletidas tomaram conta da rede egípcia, a mesma que outrora unira o povo egípcio para uma das mais importantes revoluções democráticas do novo milênio.

Palavras-chaves familiares

Essas expressões parecem familiares para você?

  • Discussões polarizadas;
  • Divisão entre idealistas extremistas e pro-militares;
  • Jornais com notícias mutuamente assertivas e razas;
  • Opiniões curtas, extremadas e não ponderadas;
  • “Dê sua opinião, e nem tente voltar atrás: o histórico estará lá para apontarmos o dedo na sua cara”;
  • Necessidade de opinar urgentemente sem ter tempo para refletir apropriadamente.

Pois é, este texto foi escrito em uma época onde o extremismo político/religioso/revolucionário de esquina toma conta da internet brasileira e das ruas das capitais. O que me fez perguntar: é isso reflexo do momento em que passamos no Brasil, de crises e casos, onde o projeto de nação mal-educada atinge seu estágio de pleno desenvolvimento? Pelo que reflete Ghonim, parece que não.

Problemas com o cURL ao atualizar o Opensuse

Recentemente decidi voltar ao GNU Linux para retomar meus estudos de Ruby on Rails e Mono. Não que o Vagrant não pudesse me atender adequadamente, mas almejava uma imersão maior na plataforma. Fora que fazer praticamente tudo do meu jeito e deixá-lo como quero são coisas que tenho sentido falta no Windows. Após a instalação da distribuição Opensuse, me deparei com o seguinte erro ao tentar atualizar os pacotes:

Download (curl) error for 'http://download.opensuse.org/distribution/13.2/repo/non-oss/content':
Error code: Connection failed
Error message: Failed to connect to download.opensuse.org port 80: Network is unreachable

Abort, retry, ignore? [a/r/i/? shows all options] (a):

Após pesquisar um pouco sobre a falha, encontrei no forum do opensuse a resposta: o curl tenta resolver os nomes como IPV6 por padrão, protocolo que no momento em que escrevo este post ainda não foi totalmente adotado no Brasil. Para resolver, basta forçar que o sistema utilize o IPV4 por padrão:

Adicionar as linhas abaixo no arquivo /etc/sysctl.conf:

#disable ipv6
net.ipv6.conf.all.disable_ipv6 = 1
net.ipv6.conf.default.disable_ipv6 = 1
net.ipv6.conf.lo.disable_ipv6 = 1

Executar o comando abaixo como sudo su:
echo 1 > /proc/sys/net/ipv6/conf/all/disable_ipv6

Reiniciar o sistema de pronto. Aqui funcionou. Caso precise de mais ajuda acompanhe a thread do fórum oficial do opensuse abaixo

Referências:

Discussão sobre a falha no fórum oficial (inglês):
https://forums.opensuse.org/showthread.php/502176-YaST-is-unable-to-connect-to-repository-server-openSUSE-13-2?highlight=curl

Solução resumida:
http://www.businesscorner.co.uk/disable-ipv6-in-curl-and-php/

Dojo SP – um grupo de Coding Dojo dinâmico e amistoso na terra da garoa

mojodojoVocê já frequentou algum Coding Dojo? Sabe o que é um é um Coding Dojo? Se ao ver a palavra “Dojo” você lembrou do local onde o herói Neo é apresentado as artes marciais por Morpheus na obra The Matrix dos irmãos Wachowski, você não está muito errada(o). O termo Do (trilha) – Jo (lugar) foi pego emprestado da cultura japonesa, onde é utilizado para referir-se ao local onde os praticantes de artes marciais vão treinar e aprimorar a execução dos movimentos da luta, cultivando-os como parte de uma arte. Mas o que Neo e artes marciais tem a ver com o desenvolvimento de software? Aparentemente nada (sei que podem encontrar diversas apresentações em sites como slideshare por aí, fazendo analogias entre artes marciais e a arte de resolver problemas de forma lógica, mas são apenas analogias). Porém, nenhum outro termo traduziria melhor o local e atmosfera dessas reuniões de programadores. Continue lendo “Dojo SP – um grupo de Coding Dojo dinâmico e amistoso na terra da garoa”

Hack N’ Cast: um podcast brasileiro sobre cultura hacker

Hack-n-Cast-Beta

Não se engane pelo título americano ou pelo beta no nome. Hack’ n’ Cast.: do-it-yourself é um podcast brasileiro sobre a cultura hacker, movimento de software livre e outras coisas encabeçado por Magnun e amparado por convidados. Apresentando conteúdo de forma irreverente e acompanhado de trilha sonora, o podcast tem me fornecido uma grande quantidade de informações e curiosidades sobre esses assuntos durante minhas micro-viagens por São Paulo. O projeto solicita bastante feedback, o que é muito positivo já que percebe-se o interesse dos responsáveis em criar uma comunidade. Conta também com sorteios e promoções, assim como descontos exclusivos em editoras importantes da área como Novatec. Assine o feed do Hack’n’ Cast e contribua com sua audiência.

Esqueça a linguagem e vire um programador de verdade!

[slideshare id=35339850&doc=esqueca-a-linguagem-140531144947-phpapp02]

Um bom programador não sabe apenas uma linguagem, isto é um fato. Nesta palestra veremos como qualquer um pode se tornar um programador de verdade independente da linguagem escolhida, diminuindo as limitações de seu trabalho. Independente da linguagem escolhida por você, sua empresa ou seu cachorro, é o programador que importa para que o sistema funcione da melhor maneira possível para quem importa: seu usuário.